Friday, June 23, 2006

infinito pessoal...

António PALOLO (1946-2000)
Morrer de amor ao pé da tua boca
Desfalecer à pele do sorriso
Sufocar de prazer com o teu corpo
Trocar tudo por ti se for preciso.

Maria Teresa Horta
Não sei se nasci com o dom de transformar emoções em palavras ditas. Nem encontrei, até hoje, nenhum manual de ilusionismo que ensinasse tal truque. Mas gosto de escrever. Escrever porque acredito na literatura e nas artes em geral. Deixar que as sílabas que ficam presas, algures entre o coração e a garganta, se soltem e formem as palavras que ficam sempre para depois. Isto tudo para dizer que me aventurei num blog, por desafio de uma amiga. Assim, sem tirar nem pôr coisa nenhuma. Sem objectivo social nem mensagem moral. Infinito pessoal, nome emprestado a David Mourão-Ferreira (Infinito Pessoal ou a Arte de Amar), porque penso que define aquilo que pretendo comunicar e o primeiro post dedicado a Teresa Horta, porque no dia em que estou a criar este espaço dei comigo a (re)ler um dos mais belos poemas da sua autoria, e nada melhor do que a paixão para me incentivar a escrever. A ver vamos…

3 comments:

Inês said...

De facto, tem razão.
Os poetas verdadeiros são assim.
Dizem em poucas palavras o que eu digo numa boa dezena delas.
Isto é, realmente, prazer de dar, prazer estar, prazer de existir.
Obrigada poeta.

a Inês de Castro

(nota: um destes dias vou publicar estas letritas no meu blog de Gritos de Outros, porque é um espaço que criei para isso mesmo.
Os meus textos são muito insignificantes, para os poder misturar com palavras de quem tem este dom, verdadeiramente, na pele.)

www.gristosdeoutrossilencios.blogspot.com

viajante do tempo said...

pronto...acabei, ao fim de várias horas a deleitar-me com este blog. Li-o por ordem decrescente, é de uma constante luminosidade, parabéns.
Visto que acontecerá lá mais para a frente, direi que EM PARIS será dos filmes que melhor representará as mais diversas relações que se estabelecem centradas no amor. Um abraço

Cândida said...

ó inês, eu nem em centenas de palavras.:) não tenho inveja, pelo contrário. é um prazer ler o teu blog. tens posts muito belos.