Friday, September 14, 2007

Visita ao Acervo...

"Structures et Lumières III-A" de Cargaleiro

A Galeria de São Mamede é uma das mais antigas galerias de Lisboa, tendo conquistado uma posição relevante na História da Arte Moderna no nosso país. Desde a sua abertura no final na década de sessenta, este espaço tem tido como objectivo a exposição e comercialização de escultura e pintura de vanguarda, tornando-se um local de referência da pintura modernista portuguesa. Por ali assentaram arraiais os principais nomes da pintura moderna tais como Almada Negreiros, Amadeo de Souza Cardoso, António Areal, Carlos Botelho, Carlos Calvet, Charters d'Almeida, Cruzeiro Seixas, Francisco Relógio, Jorge Barradas, Jorge Vieira, Júlio Resende, Lima de Freitas, Manuel Cargaleiro, Mário Cesariny, Nadir Afonso, Paula Rego, Vieira da Silva, sendo inegável o seu contributo para a formação de largas dezenas de colecções privadas de arte moderna. Ontem, ao final da tarde, tive a oportunidade de assistir à inauguração de mais uma exposição, que assinala o alargamento das actuais instalações na Rua da Escola Politécnica, voltando aquela galeria de arte a ocupar, dez anos depois, a totalidade do espaço original que a celebrizou.

"Como se aproximasses e afastasses" de Isabel Lhano

Faz bem à alma viajar por aquele espaço, agora renovado…

18 comments:

ivone said...

tanta nostalgia após ler o seu post de hoje. já lá vão uns vinte e tal anos quando eu passava e me passeava em frente a essa galeria a caminho da escola superior das belas artes com telas debaixo do braço ou rumo à brasileira. o chiado...fico feliz por se alargar em espaço dando oportunidade a quem estiver interessado se deleitar com o prazer que é de consumir arte. jorge vieira e lima de freitas meus saudosos mestres de pintura!
obrigada por partilhares.

Joshua said...

É bom ver que partilhas connosco essas fontes inesgotáveis de prazer.

pinguim said...

Quando vim estudar para Lisboa, arranjei um quarto na Rua de S. Marçal, que não ficava longe do ISCEF, onde estudei e ia comer muitas vezes à cantina de Ciências, sendo a Rua da Escola Politécnica quase o meu mundo (que recordações da Cister); e portanto a Galeria de S.Mamede era um local onde frequentemente mantinha contacto com muitos desses artistas que agora nomeias.
Obrigado por me relembrares tudo isso.
Abraço.

pinguim said...

Quando digo "mantinha contacto", era através das suas obras, entenda-se...

avelaneiraflorida said...

Amigo Luís,

" Brigados" por este post!!!!!

Começar o dia com Cargaleiro , ter estas notícias e fechar com um exprssivo quadro!!!!!!

Que bom!!!!!
UM BOM FIM DE SEMANA!!!!

Mel de Carvalho said...

Meu querido Luís,

Uma vez e sempre, os teus textos são roteiros culturais expecionais.
A imagem de Isabel Lhano é poderosa, de uma força imensa. Adorei.

"Faz bem à alma viajar por (este)espaço, (sempre) renovado…"

Sem dúvida!
Um abraço fraterno
Mel

Mel said...

" ....excepcionais ", óbvio!!!!

:)

Beijo

Fernando Pinto said...

Sinto-me bem quando estou na exposição dos outros...

Abraço,
Fernando Manuel

Entre linhas... said...

Bela partilha de ideias e ao mesmo tempo um relevante enriquecimento cultural.
Bom fimde semana
Bjs Zita

Maria Faia said...

Olá Amigo,

Há algum tempo que não tenho parado muito pela net e, por consequência, visitado, com a assiduidade que gostaria, os amigos cibernautas que me prendem a atenção.
Hoje, roubando um pouco de tempo ao meu descanso prometido, passei por cá e, mais uma vez, deliciei os meus sentidos com esta Visita aos Acervos.
Fez-me bem à alma viajar por este seu espaço poisando o olhar e emoção sobre a tela de Isabel Lhano “Como se aproximasse e afastasses”…

Um abraço amigo.

teresamaremar said...

Pelo que li nos comentários anteriores, tanto quanto informação este post trouxe lembranças :)
Também me fez lembrar, muitos anos atrás, a passagem frente à Galeria, rumo a São Marçal e ao British Council.
No Inverno passado, matei saudades dos pasteis de nata da Cister, graaaandes :)
Curiosamente, é sempre com cheiro a dias cinzentos que me vêm essas iamgens. Saudosas.

Amor said...

el cuadro del final me gusta mucho

amor

Jasmim said...

Luís
obrigada por esta imagem!

Regresso do alentejo profundo, depois de uma visita ao "Sonho de uma noite de veráo" e é bom ver os seus post.
Como sabe sou fã do que escreve, mas hoje, confesso, a foto de Isabel Lhano marcou-me.
bom domingo

Ka said...

Ai que inveja...lol (inveja da boa está claro)

E eu aqui no norte roidinha de inveja pela agenda cultural que tens ao teu dispôr!!!

Gostei particularmente da obra que escolheste da Isabel Lhano

Beijinho

triliti star said...

não sabia que aquele espaço do lado esquerdo ia ser novamente ocupado pela galeria.
por coincidência e sem ter nada a ver, comecei a deixar de lá ir quando o espaço foi "partido", embora sempre que por lá passava espreitasse, sentindo uma certa tristeza.
fico contente com a notícia.

pin gente said...

que pureza isabel lhano.
é de agradecer o post, obrigada.
um abraço
luísa

hora tardia said...

a beleza em Ré maior!!!!!!!!!!!!!


percorri tudo o que me faltava desde a minha ausência...:))))

escolhi ficar aqui.



maravilhada.


________________


obrigada.

abraço de um piano....ainda fechado.

Ana Paredes Mendes said...

Adorei a imagem...

Coloquei um link no meu blogue...espero que n�o se importe mas vale mesmo a pena visitar este espa�o!

Abra�o!