Wednesday, September 06, 2006

herança de Eszter


A Herança de Eszter conta-nos a história de um amor. Mas não um amor no sentido a que estamos familiarizados. Somos guiados nessa história pela mão de Eszter e assim vamos descobrindo como amou Lajos e como este sempre enganou todos os que o rodeavam. Lajos, mentiroso, sonhador, ladrão de corações e usurpador do património familiar, ele retorna após 20 anos de ausência para reivindicar os direitos dos filhos que teve com a irmã de Eszter. Mesmo advertida pelos amigos fiéis e pela governanta Nunu, e consciente de que vai entregar-lhe o último arrimo de sua precária segurança, ela dá ao amante seus últimos bens, resignada a uma paixão que foi seu único esteio emocional. Sempre cheio de dívidas e muitas falsas histórias. Lajos, embora apaixonado por Eszter, acabou por casar com a sua irmã, Vilma. Nesse encontro, fala-se do passado, descobrem-se personalidades e Eszter deixa-se envolver. Ao longo do livro sentimos que Eszter vai ceder, queremos alertá-la, dar-lhe força, mas sabemos que não conseguimos. Depois de ler o livro senti-me um pouco amargurado pela inevitabilidade da situação de Eszter. Nunca o deixou de amar. Fizesse, o que ele fizesse. Elegante e sensível, A Herança de Eszter é mediado de um fatalismo irresistível e merecia mesmo ser resgatado do esquecimento.

De Sándor Márai encontramos também publicado pela D. Quixote a obra As Velas Ardem até ao Fim (ver post neste blog). O escritor húngaro Sándor Márai é um desses autores que periodicamente são reerguidos ao panteão dos mestres obrigatórios, após anos de esquecimento. Nascido em 1900, Márai foi um dos autores mais populares do seu país no período entre as duas guerras. Em 1948, ele se auto-exilaria fugindo tanto do nazismo, que combatera, como da ditadura comunista, que criticava por cercear a liberdade de pensamento. Estas atitudes valeram-lhe o repúdio de boa parte dos críticos europeus, que desprezavam sua obra, atravessada por delicadas inspirações pequeno-burguesas. Em 1984, Márai foi viver na Califórnia. Lá ficou até se suicidar com um tiro na cabeça, em 1989.

1 comment:

Ler por aí... said...

Onde se passa a história deste livro? Queria colocá-lo na minha lista (http://www.lerporai.com/pesquisa.htm)
Margarida Branco