Saturday, December 30, 2006

pessoas sem nada a perder...


Nos anos 20, James Braddock de Bergen, NJ, era uma promessa no boxe, mas a combinação de um ferimento grave na mão com a derrota num combate acabou com a sua carreira. Durante a Grande Depressão, Braddock acaba a trabalhar nas docas de Nova Iorque para sustentar a mulher e os três filhos. Desesperado por dinheiro procura o antigo treinador e agente que lhe arranja um combate. Contra todas as probabilidades ele derrota o adversário e continua a derrotar todos os seus concorrentes. Numa nação desesperada por boas notícias, o regresso de Braddock inspirou trabalhadores e desempregados.
Estamos perante um filme com uma sólida reconstituição de época e boas prestações, mas este género de argumentos despertam-me sempre uma pontinha de cepticismo, talvez por estarem catalogados como demasiado oscarizáveis e após isso serem muito e muito badalados (muitos making-offs….) e portanto foi um daqueles filmes que não vi numa sala perto de mim quando estreou (penso que em 2005). Mas devo admitir que é uma obra que cumpre os seus objectivos de contar a história de um Homem que não baixa os braços perante a adversidade, que pelo seu renascimento profissional foi uma inspiração para uma América de rastos. A história conseguiu envolver-me e dei por mim a emocionar-me com as personagens e a dar murros no ar para incentivar Braddock. Confesso que no combate final apetecia gritar por ele e bater palmas no fim. Tal como inspirava os outros com a sua coragem, também a força interior de James Braddock contagia. Este filme é uma lição de vida que vale a pena ver. Impossível não realçar as semelhanças com Million Dollar Baby: ambos contam história de boxeurs, ambos relatam a ascensão de pessoas sem nada a perder, que na sua condição humilde ascendem pela garra e dedicação, ambos têm uma ligação à Irlanda. Ambos são obras cinematográficas capazes de tocar quem as vê.
Resumindo, cepticismos à parte, Cinderella Man é um excelente filme, que neste sábado calmo e friorento de Inverno tive a oportunidade de apreciar em DVD.
Cinderella Man - trailer

10 comments:

Tino said...

Vi este filme há tempos e tenho a mesma opinião; excelente! Faz falta cinema que eduque e mostre bons principios ás pessoas... nas últimas décadas, a liberdade de expressão foi longe demais, já são horas de se usar a liberdade para outras coisas! :)

Um grande abraço e bom ano!!!

noivo said...

Gosto bastante das tuas análises! só por curiosidade, o filme "perfume" já foi comentado por ti? Se não foi, adorava saber o que tens a dizer ok? abraço

lurainbow said...

Mensagem para sempre não só para 2007 no meu blog.
Fico a espera que quando puderes que passes.
Um ternurento abraço a ti e a 2007

lurainbow said...

Obrigado luis fos-te muito simpatico:) estive a ver o teu Blog com mais atenção e acredita que estou a ADORAR tenho k passar mais x :)E COM TEMPO
Esta uma foto aqui no teu espaço k devia ter inserido no trabalho já a comento para saberes qual.
Um abraço hipermegacolorido :)

Maria P. said...

Até amanhã em 2007!

Um abraço:)

NaT said...

¡¡¡¡FELIZ 2007!!!!! Luís, que disfrutes de estos días con los tuyos y nos seguimos leyendo el años que viene
Un beso

motormotor said...

venho apenas desjar Boas Festas

TARCIO VIU ASSIM said...

Vim desejar um bom 2007 para você e para os seus.
-
Que o espírito de lutadores não nos abandone.
-
Abraço, do sertanejo que admira os escritos de L.Galego.

Jonice said...

Também eu costumo manter esta distância do filme "oscarizável" e as vezes acabo vendo-os muito mais tarde ...
Mais uma vez um escrito excelente a cerca de um filme, Luís Galego!
Bejinho

Anonymous said...

Eis um filme que recomendo vivamente, que nos mostra que apesar de tudo na vida ser efémero, não podemos desistir e temos de continuar a lutar por aqueles momentos preciosos e amar incondicionalmente. Este é um filme de coragem e de amor e que nos mostra que não é pelo facto de estarmos no chão que nos deixamos pisar. Excelentes interpretações de Russel Crowe e Renée Zellweger