Monday, April 16, 2007

o véu pintado...

Por vezes, a maior viagem é a distância entre duas pessoas.
Baseado no clássico romance de Somerset Maugham, "O Véu Pintado" é uma história de amor passada nos anos 20 que nos conta a história de um jovem casal inglês, Walter, um bacteriologista da classe media e Kitty, uma mulher da alta sociedade, que casam pelas razões erradas e se mudam para Xangai, onde ela se apaixona por outro homem. Quando Walter descobre a infidelidade da sua mulher, num acto de vingança, aceita um lugar numa aldeia remota da China devastada por uma mortífera epidemia, e leva-a consigo. A sua viagem traz um novo significado à sua relação e dá-lhes um objectivo num dos mais remotos e belos lugares ao cimo da Terra.

Kitty sente-se prisioneira de um casamento infeliz e de um estilo de vida que está longe de ser aquele com que sempre sonhou. Sem que tivesse obtido a notoriedade social que desejava e afastada do seu país e da família, a jovem acaba por encontrar algum consolo na relação extraconjugal. Em "O Véu Pintado", Somerset Maugham faz, através da história do acordar espiritual da adorável e fútil Kitty Fane, uma extraordinária caracterização da presença britânica na China e apresenta-nos, como é seu apanágio, uma admirável galeria de personagens. A adaptação cinematográfica esteve à altura.

Estranhei e muito as criticas a este filme. Bela história, magníficas interpretações, belíssimas paisagens, fotografia excepcional.

14 comments:

Opintas/Bernardo said...

Ía chorando de comoção.
Está bonito, sim senhor.
( Eu não tenho nada com o assunto que até sou pela lapidação ).
Deixas sempre comentários a dobrar?
( apesar do que dizem temos todos as chaves dos comentários e paciente só o Sérgio PR ).

Maria P. said...

Era uma vez...um sorriso, com véu.

sonhadora said...

deixo-te sonhos das marés prateadas do meu mar.
Beijinhos embrulhados em abraços

Alexandre said...

Já não estranho as críticas aos filmes porque durante muitos anos estive muito perto dos «maiores» críticos de cinema da imprensa, dos quais que para falarem num filme falam de todos os filmes que o realizador fez, de todos os ângulos que ele filmou, da história da família toda dos realizadores, dos primos, das tias... mas não falam do filme!!! Porque muitas vezes nem o viram...

O Expresso tb tinha uma crítica de televisão que nem TV tinha em casa, era superior a essas coisas... e hoje já chegou a coordenadora!!! Sem comentários!

Um abraço!!!

Lucinda said...

Adorei o seu comentário ao filme, que também já vi.

Trata-se de uma história sem happy- end, à boa maneira do Samerset Maugham, mas que tem uma dimensão humana muito forte, pois relata uma história de amor, que começou por não o ser - e acaba por ter uma forte mensagem para todos nós:
- por vezes fazemos opções e escolhas para a vida que podem sisplesmente traduzir-se num falhanço total e, noutros casos, podem ser opções sublimes e redentoras ... foi o caso da jovem londrina do filme.
Adorei o rio Yantzé e as suas magníficas margens que nos conseguem transportar para aquelas longínquas paragens! Um abraço para si e obrigada pelos seus aconselhamentos e posts.

rui-son said...

Critica interessante, fiquei curioso em ver o filme. Obrigado pela sugestão.

Também sou da opinião de fazer a minha propria critica ao filme em vez de seguir as dos criticos.

serenidade said...

Irei ver, certamente, aliás já estava na minha lista de "filmes a ver" parece ser apaixonante.

Sereno sorriso.

Nelson Ngungu Rossano said...

Boa crítica, tenho de ver esse filme...

abraço

Toix said...

Olá Luís
Obrigado pelas tuas palavras elogiosas, e porque estava convencido que tinha lido tudo de S.M. na minha infância, mas afinal não. Tenho que procurar esse romance. T

Sean Hagen said...

*



e a foto é maravilhosa.
cartazes de cinema e still são uma obra à parte quando bem feitos.




*

Opintas/Bernardo said...

Chapéus há muitos mas postes não.
Boa noite.

sonhadora said...

na magia da noite, deixo-te beijinhos embrulhados em abraços.

KA said...

Fico curiosa para ir ver pois adoro filmes de época.

Ai Luis esta visita ao teu blog vai dar-me um trabalhão...loool

Agora só preciso de arranjar tempo para ler o livro...ver este filme e sei lá mais o que aí vem...:)

Fernando Pinto said...

Pela "sinopse" deve ser um belo filme... Gosto de películas com boa fotografia, a cheirar a obra-prima!

Cumprimentos,
Fernando Manuel Oliveira Pinto