Saturday, August 25, 2007

um buraco negro no lugar do coração...

Mysterious Skin - Pele Misteriosa

Brian Lackey tem oito anos quando acorda na cave da sua casa com o nariz a sangrar. Não faz ideia de como ali foi parar. A partir desse momento, a sua vida muda. Fica com medo do escuro, molha a cama e é atormentado por pesadelos recorrentes. Aos 18 anos, convence-se que foi raptado por extraterrestres. Neil CcCormick, o rapaz de quem todos gostam mas de que ninguém se aproximam também tem 18 anos, mas lembra-se da relação que tinha com o treinador de basebol aos oito anos. A procura de Neil pelo que ele acha que é o amor leva-o até Nova Iorque. O desejo de Brian de saber o que lhe aconteceu realmente leva-o até Neil. Deste encontro, nasce a lucidez e a percepção de que a realidade por vezes se mascara de fantasia....
Sinopse

Baseado no romance de Scott Heim, Mysterious Skin conduz-nos ao interior dos corações e das mentes de dois rapazes muito diferentes, com vidas muito desiguais, que talvez não sejam tão divergentes quanto parecem. Não é um filme para todas as sensibilidades, mas não deixa ninguém apático. Na essência de Mysterious Skin reside uma relação sombria. Neil e Brian duas crianças que, aos 8 anos, foram protagonistas de uma experiência sexual traumatizante. O filme pode resumir-se como um inteligente mas penoso processo catártico, uma forma de exorcizar os demónios interiores de acontecimentos que marcam vidas para sempre; dois jovens que vivem no propósito de poderem revisitar o passado comum, assim recuperando as suas identidades perdidas. Dois adolescentes que estão sempre a viver uma única experiência, a da descoberta simultânea dos seus fantasmas.

Este filme jamais poderá ser etiquetado de objecto pedófilo. No entanto, não é fácil lidar com esta matéria. Nem no plano ético, nem no domínio específico da narrativa cinematográfica. Até porque se trata de ostentar muitas formas de sofrimento humano. Não obstante a carga pesada, é um filme realizado de forma sensível e sensata, verdadeiramente maturo, sério e grave, ciente dos paradoxos que coloca em cena.

Mysterious Skin atravessa um apertado corredor em que a intransigência do olhar e da denúncia permite-nos a todo o instante ver que a realidade das relações humanas e dos comportamentos sexuais é muito, mas mesmo muito, complexa…

No King, claro, resgatando-nos de muitas palermices exibidas em nome da "ligeireza" imposta pela Silly Season!!!

Ver trailer do filme aqui.

12 comments:

Maria said...

Então será mais um filme a acrescentar à minha lista... Não me tem apetecido sair para ir ao cinema, nem eu sei porquê...

Obrigada.

Kalinka said...

OLÁ AMIGO LUÍS

venho dizer que tens um desafio para responder no meu kalinka.
Fico a aguardar a resposta ao mesmo, aqui num post.

Huummmmm...espera...
também tens um «Prémio» para receber. Parabéns!

Bom domingo.
Beijitos.

Kalinka said...

Sabes que, este nome passou pela minha vista e, parece que senti um clic cá dentro, como que um aviso para ir ver este filme...
Quem sabe, um sinal.

avelaneiraflorida said...

Caro Luís,
Não sei se vou querer ver...neste momento!
Quando vejo cinema preciso de estar "in the mood"...e, francamente, não é bem esse o caso!!!

Mas fica a sugestão!!!!
"BRIGADOS"

Arion said...

A sorte que tens em ter um King perto de ti. E não, não é um tema fácil de tratar... :(

RIC said...

O trailer é, no mínimo, inquietante. Aprecio este tipo de cinema que aborda temas «malditos», muito incómodos e complexos. A banda sonora pode também ser de bom nível.
Um filme a ver, sem dúvida!
Abraço! :-)

Palavras ao vento said...

Veho desejar- te um incio de boa semana... E aproveito para dizer, que adorei o resumo do filme!

Vir aqui e ler- te, é como ter viajado ou uma deslocação ao cinema mais próximo!

Bem Hajas!

Beijos da

Maria

.:mÁrCiO:. said...

Passei para agradecer a visita que fez à tempos lá no Canto do Desconhecido (21/08, 23:58)...

Em relação ao filme... parece-me uma boa sugestão de cinema!

Abraço

Jasmim said...

Obrigada pela dica, irei...
Mas antes vou ver o véu pintado, tenho que aproveitar as reposições.
O tempo é pouco para tanta coisa: maldita tese...

ivone said...

luís

sem dúvida nenhuma um filme que não é para todos. na sua maioria deve chocar mentalidades mais retrógadas e posturas mais sensíveis.não pude deixar de espreitar o trailer.muito interessante mesmo. um filme a anotar na minha agenda sem sombra de dúvida. o tema interessa-me seduz-me.à semelhança do realizador maldito (almodovar)este não é um tema maldito como pude ler num comentário anterior.

papagueno said...

Tive uma semana preenchida e tenho este em falta, é mesmo daqueles que me parecem imperdíveis.
Um abraço.

pinguim said...

Amigo Luís
tenho este filme gravado há já razoável tempo e gostei muito quando o vi; admira-me até que seja alvo de exibição comercial no nosso país, pois é um filme duma cinematografia alternativa, que não interessará a toda agente, pelo que ainda é de louvar mais a distribuidora; claro que só poderia ir para o
King...
Penso que a sua exibição terá algo a ver com a proximidade do festival Queer Lisboa 11, que começa amanhã no S. Jorge.
Não sei se já te disse que tenho uma boa colecção de filmes sobre esta temática, que saco da "mula", claro...
O tema deste filme além de muito complexo, aborda assuntos muito sensíveis, para os quais devemos estar preparados, pelo que não é de todo, um filme fácil.
Abraço.