Thursday, November 01, 2007

escafandro e borboleta...

Le Scaphandre et le Papillon
Dezembro de 1995, um acidente vascular brutal mergulhou Jean-Dominique Bauby, chefe de redacção da revista Elle, num coma profundo. Ao acordar, todas as suas funções motoras estão deterioradas. Sofrendo do que as ciências médicas denominam locked-in syndrome, não consegue mexer-se, falar, nem sequer respirar sem assistência. Neste corpo inerte, apenas um olho mexe. E esse olho passa a ser a sua ligação com o mundo, com os outros, com a vida. Pisca-o uma vez para dizer "sim" e duas para dizer "não". Com o olho, indica as letras do alfabeto, formando palavras, frases, páginas inteiras. Uma espécie de código morse. Com o olho, escreve o livro Le Scaphandre et le Papillon, narrando os seus dois últimos anos de vida no Hospital Francês de Berck, provando ao mundo que a ausência de movimentos e da fala não são impedimentos para a vida.

Completamente lúcido. É o escafandro. E é a borboleta dentro dele aprisionada. O fim? O testemunho excepcional de um homem que viveu literalmente o inefável, atingido por uma doença tão fulminante e aterradora quanto rara, foi vertido para o cinema de modo inteligente, sensível e sem lamechice. O filme, contido e realista, aborda um tema problemático que facilmente poderia cair numa história lacrimejante ou voltada para captar a comiseração. Mas tal não acontece. A história é bem desenvolvida e consegue passar, sem apelar para tais artifícios, parte do que deve ter sido o drama pessoal e a angústia do jornalista. Um merecido aplauso.

Lisboa, Cinema Londres, Escafandro e a Borboleta, 1 de Novembro de 2007, dia celebrado em honra dos santos e mártires, conhecidos ou não. Passamos pelas coisas sem as ver. O filme atiça. É urgente viver! Procurar a maravilha. Beber o vento e o sol! Erguer ao céu os corações a palpitar! Existir, afinal.

Ver trailer aqui.

16 comments:

jorge vicente said...

viver é tudo

um grande abraço e obrigado pelo filme

jorge vicente

Escola Yoga - Metodo DeRose - Amadora said...

Espectacular!!!

Um grande Abraço e parabéns pelo Blog :)


SwáSthya!

hora tardia said...

subscrevo o teu gostar!!!!!!



absolutamente.



beijo.



do piano.

ivone said...

penso que a não perder num cinema perto de si.
já tinha conhecimento deste filme através do magazine de cinema mas ainda sem tempo para ir.
talvez este fim de semana sim.

Jasmim said...

obrigada Luís.Obrigada mesmo!
bom fim de semana

avelaneiraflorida said...

Caro Luís ,
"Brigados", "Brigados", mesmo!!!!!`

É reconfortante chegar aqui e encontrar lucidez, clareza, informação, tudo com a QUALIDADE que por aí não existe...

Não sei se poderei ver o filme, mas aguardarei o DVD que, certamente, há-de aparecer!!!!

UM FIM DE SEMANA CHEIO DE VIDA!!!!

velha gaiteira said...

já vi e gostei profundamente!
Abraço amigo!

Jonice said...

Passamos pelas coisas sem as ver. O filme atiça. É urgente viver! Procurar a maravilha. Beber o vento e o sol! Erguer ao céu os corações a palpitar! Existir, afinal.

Pra que outras palavras?

Beijo, Luís. Bom fim de semana.

Blue Velvet said...

Passamos pelas coisas sem as ver. O filme atiça. É urgente viver! Procurar a maravilha. Beber o vento e o sol! Erguer ao céu os corações a palpitar! Existir, afinal.
Não me lembro de ter visto neste Blog um sentir assim.
Mas, e se existir for vegetar? Acho que a amargura me deixou céptica...
Beijinho

PS: Deixei um desafio para si no meu Blog. O livro, li por sua causa. E não é que gostei muito?

Maria said...

é urgente viver!
é urgente amar!

beijo

pin gente said...

ficam todas as nossa queixas posta de lado... todas as nossas lágrimas choradas nós mesmos, adiadas...

não vi o filme, mas não duvido de nenhuma das tuas palavras.

um abraço
luísa

ps - posso levar-"te" para o meu espaço?

Ana Paula said...

Claro, Luís! É mesmo urgente viver! Também o sei. Mas foi óptimo encontrar dita aqui essa palavra de ordem! :) Nunca deveríamos esquecê-la.

O filme deve ser uma pérola...
Bom fim-de-semana! (Com urgência de viver, para si e para mim, para todos...)
:)

Maria Faia said...

Estimado Amigo,

Retenho estas palavras: " É urgente viver! Procurar a maravilha. Beber o vento e o sol! Erguer ao céu os corações a palpitar! Existir, afinal."

É esse mesmo o caminho, pese embora a verdade de nem sempre sabermos encontrá-lo...

Um abraço amigo e votos de Bom Fim de Semana.

Maria Faia

Ka said...

Que bela dica! Eu vi a apresentação do filme e chamou-me logo a atenção.

Gosto de ver este tipo de filmes pois transmitem-nos uma força enorme e relembram-nos que andamos cá para viver e ser felizes.
Espero conseguir ir ver embora esta semana queira ir ver "Elizabeth - A idade de ouro"

ps - tenho uma inveja incrível das salas de cinema antigas. Cá no Porto tivemos o nun'alvares que fechou à uns meses e agora só mesmo nos centros comerciais :(

pinguim said...

Amigo Luís
curiosamente, a critica não é muito amável para com o filme, mas eu regulo-me pela minha cabeça e não pela dos outros; embora num registo diferente parece haver alguns pontos comuns com o "Mar adentro"; o tema é triste, mas é numa prespectiva de acreditar nas possibilidades que a vida apesar de tudo nos oferece que merecerá ser visto.
Abraço.

a.filoxera said...

Curioso! Quem diz que não há coincidências?
Estou a ler "Pensamentos Secretos", do David Lodge. Onde, pela 1ª vez, "ouvi" referir este caso.
Que determinação, que exemplo de luta!