Tuesday, May 06, 2008

Index librorum prohibitorum...

Uma jovem numerária, nua na penumbra do seu quarto, chicoteia-se repetidamente com violência e, no mesmo momento, um grupo de banqueiros, nos seus elegantes fatos escuros às riscas, reúne-se à volta de um túmulo, numa cripta subterrânea, para soldar com a oração o seu pacto indissolúvel. Noutra parte do mundo, um rapaz que fez a mesma opção de vida aperta em torno da sua coxa um cilício de metal cujas pontas lhe furam a carne e, no mesmo instante, numa cerimónia com chefes de Estado e de governo, ministros e intelectuais, industriais e financeiros entre os presentes, um polémico sacerdote espanhol, de nome Josemaría Escrivá de Balaguer, é feito santo.
Trinta minutos antes de entrar na sala de cinema dou com um livro - numa das estantes da Livraria Assírio & Alvim II, localizada na cave do edifício do King - que parece acrescentar algo mais ao que penso saber sobre uma das mais poderosas e controversas organizações da Igreja de hoje. O livro, Opus Dei Secreta (Campo das Letras), o autor, Ferruccio Pinotti. Folheio atentamente o documento de pendor jornalístico que relata as histórias dos numerários e das numerárias (os aristocratas da inteligência), membros da Obra, que abandonaram a Organização. O recrutamento, a coacção psicológica – particularmente em relação aos jovens e às mulheres –, o uso do cilício e do látego, o entusiasmo pelas práticas de flagelação e de mortificação da carne, o corte com a família, a sexofobia, a gestão do dinheiro e as fontes financeiras. Viagem de Itália a Espanha, da Inglaterra à Alemanha, dos Estados Unidos à América do Sul. Pena que a investigação não tenha velejado por terras lusas. O autor revela como se vive dentro da Obra de Deus, a organização cujo objectivo capital é a santificação do trabalho, manter o mundo santo e levar a ética cristã, valores cristãos e a paixão cristã para esse trabalho. Ainda que com todo este enquadramento sociológico resisti e não o comprei. O sábado exigia-me outras escolhas. Acabou, dois dias mais tarde, por me vir parar às mãos. O Amor faz destas coisas. Li-o de uma assentada, embora com saltos em alguns capítulos a que voltarei oportunamente. Apetece-me, desde já, convocar as últimas páginas em que o autor divulga a lista dos livros cuja leitura está interdita aos numerários da Obra.

Embora o Vaticano tenha abolido o Index corria o ano de 1966, por vontade de Paulo VI, o monsenhor Escrivã de Balaguer não levou o acontecimento a sério mantendo a censura no seu grande condomínio. Deixo aqui uma relação minúscula a partir da que foi publicada, onde curiosamente também comparece o nosso Nobel:
MÁRIO VARGAS LlLOSA – Os Cadernos de Dom Gioberto; STENDHAL – O Vermelho e o Negro e a Cartuxa de Parma; MARCEL PROUST – Em Busca do Tempo Perdido; PABLO NERUDA – Cem Sonetos de Amor; ORIANA FALACCI – Carta a Uma Criança Que Nunca Nasceu; ALBERT CAMUS – O Mito de Sísifo; CARLES BAUDELAIRE – As Flores do Mal; HONORÉ DE BALSAC – O Lírio no Vale; ANTONIN ARTAUD – O Teatro e o seu Duplo; PEDRO ALMODÔVAR - Patty Diphusa e Outros Textos; WOODY ALLEN - Sem Penas; ISABEL ALLENDE - A Casa dos Espíritos; JORGE AMADO - Capitães da Areia e Tieta do Agreste; SIMONE DE BEAUVOIR – A Força da Idade e o Segundo Sexo; BERTOLT BRECHT - Mãe Coragem e os Seus Filhos e A Alma Boa de Sezuan; ALBERT CAMUS - O Homem Revoltado; UMBERTO ECO - O Pêndulo de Foucault e o Nome da Rosa; GABRIEL GARCIA MARQUEZ – O Outono do Patriarca; MILAN KUNDERA – A Insustentável Leveza do Ser; PHILIP ROTH – A Orgia de Praga; JOSÉ SARAMAGO - Manual de Pintura e Caligrafia e O Evangelho Segundo Jesus Cristo; JEAN-PAUL SARTRE - A Náusea; FERNANDO SAVATER - Ética para um Filho; MIGUEL DE UNAMUNO - Do Sentimento Trágico da Vida; MARIO VARGAS LLOSA - A Orgia Perpétua; MAX WEBER – Ensaios Sobre a Sociologia da Religião; MARGUERITE YOURCENAR – Aléxis; EMILE ZOLA - A Besta Humana; HENRY MILLER – Trópicos…
Quem, como eu, já leu sofregamente estes escritores, consumindo avidamente página atrás de página de escritas brilhantes, que se acautele: o juízo final há-de chegar e sem contemplações!

38 comments:

Kaplan said...

pois que venha embora!!!

Moi said...

Esta castração de carne e espírito pela religião... Ao escrivão fechava-o com a patty diphusa à espera desse dia.

Abraço amigo.

jasmimdomeuquintal said...

e se o juizo final recair sobre os que leêm avidamente... ai, ai...
um bj

osátiro said...

Meu caro, qualquer um desses livros pode ser encontrado nas muitas librarias que por aí andam; e qualquer pessoa os pode comprar.
Aliás, a ficção sob a forma de "verdade"( como o "Código Da Vinci") é o método escolhido para inventar histórias contra o Cristianismo.
Curiosamente, o que se vê é censura declarada contra o Cristianismo.
Veja-se o que passou Mel Gibson para filmar e por no mercado " A Paixão de Cristo": fecharam-lhe todas as portas em Hollywood e teve que, ele próprio, criar uma distribuidora.
!
Quantos livros já encontrou a desmontar "O Código DA Vinci"?
Pois, index das distribuidoras: mas há bastantes, e muito bem escritos!
E muitas mais situações se podem contar!

pinguim said...

O Monsenhor já está santificado (ou coisa parecida), a Obra, mais parece uma visão moderna e soft da Inquisição e a lista dos livros proíbidos é perfeitamente ridícula nos dias que correm, e parece feita "ao calha" ou ao sabor de humores voláteis.
Resumindo e concluindo, que se f*** a Obra e que Deus me perdoe!!!!
Abraço.

Catatau said...

E as sinistras lavagens ao cérebro - mais ou menos subreptícias, mais ou menos insinuantes, mais ou menos incidiosas - que os irmãos da Obra fazem?! Conheço alguns, tristes, casos que não tiveram final feliz. Em relação ao recrutamento de jovens, já presenciei coisas que prefiro esquecer.

Catatau said...

incidiosas=insidiosas

Paulo Tomás Neves said...

Belíssima lista, quem ainda não leu algum deles, pode bem agendar a leitura porque não ficará desiludico com a qualidade das obras, pode é ir parar ao Inferno da Opus Dei :-)

com senso said...
This comment has been removed by the author.
com senso said...

Cristo mostrou que o Homem pode alcançar a grandeza divina. Monsenhor Balaguer e sua Obra mostraram-nos que, em nome de Deus e em pleno século XX, se cultivam algumas das mais mesquinhas fraquezas do género humano. Infelizmente, a Igreja ainda não percebeu que elevar homens como Balaguer à categoria de Santos, só contribui para despovoar a Casa de Deus.

Magnolia said...

O 2º direito do Edificio Magnolia prepara-se para entrar num mundo oculto e excitante salpicando uma ansiedade que move as almas que ali moram.
Queres tocar na nova sensação do Edificio?

Special K said...

Obra de Deus ou do diabo?
Um abraço.

Rosi Gouvea said...

"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem,
os amigos devem ser amigos para sempre,
mesmo que não tenham nada em comum,
somente compartilhar as mesmas recordações.
A gente não faz amigos, reconhece-os."

Vinícius de Moraes


E é sempre muito bom passar por aqui,
meu dia fica mais alegre!

Beijos doces

Rosi Gouvea said...

"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem,
os amigos devem ser amigos para sempre,
mesmo que não tenham nada em comum,
somente compartilhar as mesmas recordações.
A gente não faz amigos, reconhece-os."

Vinícius de Moraes


E é sempre muito bom passar por aqui,
meu dia fica mais alegre!

Beijos doces

Ana Paula said...

Se esse dia chegar, lá estarei, para dar conta de toda a boa leitura, proibida ou não, que fiz, faço e farei...
Proibir leituras é tentar retroceder no tempo, ficando exactamente na mesma! :)

isabel said...

"Amo o pedaço de terra que tu és,
porque das campinas planetárias
outra estrela não tenho. Tu repetes
a multiplicação do universo." - Pablo Neruda

Como se proibem palavras destas?

Vulcano Lover said...

Imagino que para proibir, algum deles deverá ter lido todos esses livros... não? Ao ler a lista e ver tantos livros amados por mim pensei que com certeza para eles eu devo ser uma pessoa com ideias muito erradas. Mas se calhar posso ajudá-los a acrescentar a lista, não é?

Pena said...

Estimado Amigo:
Li o seu pensar com atenção e cuidado.
Para mim, todas as formas de atentado ao ser humano através do sofrimento, auto-fagelação e dor, não comportam, nem um sentimento em Deus plausível de aceitar ou conceber.
Sim! Há organização que concebem sentir "desvios de carácter e errada percepção", "obsesseções" e "dor" não justificam, nem definem a fé. A autêntica fé através do sofrimento condeno-a.
Quantas atrocidades foram cometidas por "seitas" que entendem mal o conceito de fé e crença num Deus, em que não sei se acredito.
Dos livros que foca, destaco dois:
"A Náusea" de Sartre, e o escritor fabuloso Gabriel Garcia Marquez, que me fizeram companhia na minha juventude e me marcaram.
Excelente Post, Com sinceridade.

Parabéns sentidos.

Abraço forte de estima pelo seu enorme talento, pela sua investigação brilhante.
Com respeito

pena

OBRIGADO pela simpática visita que gostei muito.

Carla said...

que chegue o juízo final e que seja justo...impedir a liberdade é castrante em todos os aspectos

Paula said...

Parabéns pelo blog. Adiciono-o aos meus favoritos.

Abraço

cynthia said...

Gracias por pasar por mi blog.. devuelvo la visita.. lastima que mucho no entiendo lo que dices.!! te leeré despacito.

besos!! ;)

Jose said...

Obrigado pela sua visita ao meu blog.
Sobre este seu último texto que li com muito agrado só tenho uma simples frase:

ORGULHOSAMENTE ATEU.

Um abraço


José

BlueVelvet said...

Há uns anos caiu-me nas mãos um livro deste género, mas nocaso de uma mulher.
Devido a mudanças de casa, deve estar metido num caixote:((( e não me recordo a autora.
Mas li-o todinho e fui passando da indignaçaõ ao horror.
O que não conhecia era este Index!
Mas juntando isto ao facto de terem beatificado o Escrivá, já pouca coisa me admira na Igreja dos Homens.
Valha-me a Fé em Deus!
Beijinhos e veludinhos

alice said...

o primeiro parágrafo deste post é literariamente excelente. adorava ler o livro que lhe corresponde ou ver o filme :) um grande beijinho.

VirGInia! said...

Dou-te graças pela lista de pecados tão sublimes! Ainda não saboreei todos... mas agora toca a viver o paraíso nessas páginas :)

mateo said...

Nunca me dei bem com "secretas"... "pides...", "opus...", "maçonarias..." e... há mais.
Ai há, há!
São secretas...
Abraço.

Olhos de mel said...

Oie meu amigo lindo! Já li alguns e assim como você, acredito que esse juizo virá, sim!
Bom fim de semana! Beijos

Olhos de mel said...

Oie meu amigo lindo! Já li alguns e assim como você, acredito que esse juizo virá, sim!
Bom fim de semana! Beijos

Auréola Branca said...

Vim aqui a te indicar um dos famosos escritores- Dan Brow, que escreveu O Código da Vinci, Anjos e Demônios, dentre outros.
Confesso, hoje estar incrivelmente curiosa com alguns dos seus livros citados. Impressiono-me como vou tecendo conhecimentos com as páginas numerosas desses autores.
Mas, digo... devemos estar preparados, pois conteúdos específicos nos roubam da realidade que por tempos achávamos a mais certa.
Talvez hoje esteja fora de algumas realidades...
Abraços...

tulipa said...

Hoje...
Sábado, em casa sozinha...
Não me apetece limpar a casa...
quando se está deprimido não apetece fazer nada...nada...nada
...só dormir...mas, eu faço os possíveis pelo menos de não abandonar a minha escrita nos blogs, ao menos isso...

Sinto uma preguiça enorme...
Aqui estou sentada em frente ao computador, apetece-me estar aqui a visitar os meus amigos/as virtuais.

Espero a tua visita.
Podes visitar o meu novo blog de fotos exclusivas, só minhas...

Por aqui continua o teu talento para as palavras, sempre associadas a belas imagens.
Parabéns.

No outro blog tenho algo sobre cinema, se prefere, bora lá.

Bom fim de semana.

Deixo um beijinho c/carinho.

Helena said...

Bom fim de semana...

Beijinho

Emanuela said...

Olá. Vim retribuir teu abraço e fiquei um bom tempo por aqui, conhecendo teu espaço. Percebe-se que és uma pessoa de grande cultura...Gostei! Volto para apreciar mais.
Deixo-te meu abraço.

sofialisboa said...

não sei muito sobre a Opus Dei, mas já me cruzei várias vezes com ela ao longo da minha vida, tudo aquilo que sei não acrescentou aquilo que descreves, mas que é assustador é...cada vez mais vamos caminhando para a paranoia, religiosa, uns de um lado outros por outro, uns ainda nas cruzadas, outros numa cruzada interior, só deles. gostei sofialisboa

Oliver Pickwick said...

Desculpe, caro Luís, mas o meu comentário é quase o mesmo do outro post: A essência da lavagem cerebral [e do fanatismo] nunca morre.
O Código Da Vinci é um romance oportunista e repleto de inverdades, porém, quanto à esta primazia do Vaticano, a Opus Dei, tudo que está escrito ali é legítimo.

Quanto ao Index, até que a Igreja não demorou muito para o "retirar" de circulação, visto que, a Santa Inquisição jamais foi extinta, apenas mudou de nome, é a atual Congregação para a Doutrina da Fé. Por sinal, antes liderada pelo atual papa.
Desconfio que ainda existe algum dominicano por aí, cujo livro de cabeceira ainda é o Malleus Maleficarum. Harry Potter, eBruxas em geral, tremei!
É sempre profícuo, a visita ao seu site.
Um abraço!

Defensor said...

Salve,
A Igreja Católica e seus erros...
Abraços

BlueVelvet said...

Olá Luis,
fiquei a remoer no nome da autora do livro que mencionei e fui desencantá-lo:
O título é: DO LADO DE DENTRO, uma vida na Opus Dei, e a autora é Maria Del Carmen Tapia.
Beijinhos e veludinhos azuis

avelaneiraflorida said...

Amigo Luis,
todas as proscrições de livros, todos os Ìndex, todas as queimas públicas de livros, todas as destruições de bibliotecas...permanecerão como chagas no ser humano enquanto a memória de tais actos existir!
As obras aqui mencionadas são apenas a "ponta do iceberg"...Tantas outras se perderam na voragem da mesquinhez e da castração do conhecimento...

Ricardo Cappellari said...

oh Deus... estaremos então eu e tu subvertidos?