Saturday, September 19, 2009

vida suspensa...


Só agora entendi
que te desprezei. Naquela noite escura
disseste
Até já. E ainda
te aguardo
enleado em velhos poemas e
canções de amor
Um coração que não dorme
que pulsa no lusco-fusco de um quarto vazio
Sinto no corpo o frio arrepiante da saudade
Uma vida perdida sobre lençóis desfeitos
eternamente presa.

Luís Galego

13 comments:

AnaLee said...

Só um talento extraordinário diz tanto em tão poucas palavras. Ou um talento genial! :)

almas said...

E, as vezes, é mesmo assim, ficamos à espera, suplicamos a noite, baixinho com a cabeça enfiada na almofada, que quem nos feriu, regresse com toda a ternura que um dia nos deu...e a alma doi tanto, e coração fica tão apertado, e a vida fica tão vazia...é tudo tão difícil de suportar, que parece que vamos ficar eternamente presos a este sofrimento....
a esperança? "o tempo cura tudo"...é o que dizem..

Luís Costa said...

Estiamado Luís,

excelente poema. Gostei.

Um abraço:

Luís

Violeta said...

Eis um poema de quem lê a alma das pessoas...
bom fim de semana

cirandeira said...

Por quê será que temos tanta dificuldade para valorizar e expressar o que sentimos às pessoas
que amammos?

O poema é belíssimo!

Abçs

cirandeira said...

Por quê será que temos tanta dificuldade para valorizar e expressar o que sentimos às pessoas
que amammos?

O poema é belíssimo!

Abçs

Mar Arável said...

Aprender aprender

sempre

eternamente

pinguim said...

Luís
tu já não consegues surpreender-me; de ti espero e encontro sempre algo de sublime.
Só me surpreenderás - absurda ideia - com algo menos bom...
Abraço amigo.

jorge vicente said...

eternamente presa e aspirando à liberdade

uma bela semana para si
jorge vicente

Magnolia said...

Ás vezes..de repente...sem estarmos a espera...encontramos coisas lindissimas como este seu blogue....
Depois volto...

Pedro Gamboa said...

Duro... Dilacerante e tão verdadeiro...

maria said...

"Uma vida perdida sobre lençóis desfeitos eternamente presa."
Tenho a sensação que me conhece um pouco. Tenho a sensação que fala de mim. Quando faço uma visita ao seu blog venho à minha procura. Encontro sempre um pouco de mim.
Nós, seres humanos, somos tão simples, imensamente simples na tristeza...

Tongzhi said...

O poema é lindíssimo e está maravilhosamente ilustrado com a imagem que escolheste.
Abraço