Saturday, October 03, 2009

um beijo ali na Cinemateca…


Numa hora, lenta e calada
desinquieto,
punha um perfume leve
vestia-me de emoção.
Trancava a porta
de um convento solitário.
Puxava de um cigarro
para que o arabesco singular do fumo
me tranquilizasse.
Ensaiava gestos, em ritmo de oração
num porte infantil
de súbitos receios
e temente que a sedução
se travestisse em frustração.

Hora de entardecer,
endoidecido cavalgava sem parar
e na Barata Salgueiro, no silêncio da espera, pesadelos de insónia, sofria de imaginar,
que ela se arrependesse,
ou não quisesse assistir
a uma obra de culto...até a sentir como um relâmpago aparecer.

Extasiado ao vê-la
ternura súbita
arrepio de comoção
como se de súbito um jardim invadisse o meu corpo.
Senti no ar carícias
Prendi nas mãos todo o luar.

Desperdiçava tempo,
a procurar coragem
para que o desejo fosse beijo.
Minutos sem descanso
e os discursos que preparara, desmaiavam ao brotar.
Mas o físico e a alma
reclamavam vencer o medo
e roer a solidão
Hora de fazer milagres
abandonava os dedos descuidados
esgotados de esperar
aflitos rondavam a sua pele
esperando o seu afago
à espera do intimo silencioso
um ar onde o hálito é doce.
Num jardim de segredos
ousava ser homem então.

Na Cinemateca,

uma sala imensa suspensa
na espuma do silêncio
o espírito estremecia
o corpo tremia
o coração ardia
ao som da melodia
a Jeanne Moreau surgia
o brilho de uma estrela
apertava ainda mais a paixão
com uma nova respiração
explodia a relação.

Na Cinemateca,

foi uma noite bela
uma flor poética
que parecendo eterna
invadiu o coração.
Luís Galego
* após ouvir - uma vez mais - Paulo de Carvalho e Sábado à Tarde.

9 comments:

AnaLee said...

Hum, Sábado à tarde... Quase consigo ouvir o Paulo de Carvalho.
Maravilhoso relato, parece que também lá estivemos!
Infinito, a caber na mão...
Parabéns!

Abraço-te said...

Na cinemateca...
Mais um onde acontece de tudo como outro qualquer.
Haja disposição e vontade.

Abraço-te

Violeta said...

Lindo o poema e a cinemateca mais os sentimentos aqui inerentes.
Bom fim de semana.

Marta said...

Lindo!!!
beijinhos

pinguim said...

E tinha mesmo que ser na Cinemateca, nesse lugar mágico onde os sonhos cavalgam as realidades da Vida e um beijo pode ser roubado ao ritmo da fita...
Abraço.

Pedro Gamboa said...

Que lugar mágico, que pena tenho de nao pernoitar por lá as vezes que gostaria...
Reparei que Chico Buarque pertence-te. Deixo a sugestão do ultimo livro dele que foi tão extraordinario para mim, passados uns meses ainda o trago por vezes a borbulhar na minha cabeça.
abraço

Melita said...

:)
Gostei!!
Bjitos

agv said...

Que giro
Na noite de segunda feira 13 Outubro, estive na Cinemateca para assistir ao filme Wolf, integrado no Ciclo filmes e Ambiente e tirei uma foto igual a esta, publicada no meu FB. O mesmo olhar...

jorge vicente said...

e segunda à noite leio este teu poema maravilhoso. parabéns. és fantástico.

abraço
jorge vicente