Saturday, October 24, 2009

também eu tenho o meu jeito meio estúpido de amar...

Uma tarde casada com um temporal medonho.
No meio dos relâmpagos pelo esverdeado dos meus olhos cansados e molhados foi saindo uma
verdade crua, que devia ser incontável, carregada de um milhar de segredos
que era suposto ignorares.
O receio era o meu palco, o coração batia tão infundadamente no meu peito e a angústia era a actriz convidada de uma peça condenada ao fracasso. Fugiste e eu passei a escutar a minha dor
que me subjuga dentro do apartamento estreito e arrefecido, onde uma flor definha, um piano envelhece e a única música é o vento que bate na janela.
Continuo a arder em febre e medo. Insónias imensas e noites sem nome.
Desacompanhado arranco estrelas e com a alma cheia de rasgões
enlouquecido vou murmurando que apesar de tudo te amo…
Luís Galego

Imagem retirada aqui

20 comments:

Minhas Impressões said...

Quantoa de nós temos uma flor que definha e um piano que envelhece, dentro de nós.
Ainda bem que há a música, mesmo que seja o vento, sem melodia definida.
"... apesar de tudo te amo."
Nós sempre amamos apesar de tudo.
Quanto as estrelas, meu querido, não as arranque de dentro de ti,
porque muitas vezes são as únicas companheiras a alentar a alma aos rasgões.
Grande beijo, Poeta

AnaLee said...

Maravilhoso como sempre. É um "crime" que estes textos não sejam lidos por toda a gente. Luís, vamos lá publicar isto!

ângela marques said...

Gosto muito deste jeito de dizer o jeito meio estúpido de amar.

Beth Cerquinho said...

Me sinto lisongeada em postar algo que te arraque gargalhada...isso só mostra que mesmo com um jeito meio estúpido de amar vc não tem um jeito meio estúpido de viver.
Muito bom ter vc no meu blog..
Bjka e ummega final de semana

Violeta said...

E quem não tem um jeito estúpido de amar?
bjs

tulipa said...

Embarcamos nos sonhos,
atracamos na Vida,
pela mão de um(a) Amigo(a)!

Assim me sinto quando te leio.

Huummmm, um jeito estúpido de amar!!!
Pois, amar é que interessa.
Se o jeito é estúpido ou não isso é secundário, pois existe tanta falta de amor.

Esta noite podemos dormir mais uma hora, com a mudança da hora;
pois aproveito essa hora a mais, para visitar os meus amigos da blogosfera, que ando em falha.

Bom domingo.

Je Vois la Vie en Vert said...

Estúpido ou não, é o teu jeito mas o importante é amar !

É muito bonito o teu texto, Luis !

beijinhos

Verdinha

geocrusoe said...

Como sempre, a tua prosa é uma sequência de ideias e de imagens em versos tornados num belo poema... todos têm o seu jeito meio estúpido de amar, só que pouco o sabem declarar desta forma tão magnífica.

Maria Ribeiro said...

LUÍS: mesmo que de modo estúpido, o que importa é AMAR! Depois virão os pedidos de desculpa ... os pedidos normais de perdão e de falta de jeito, outros arroubos de paixão, mais erros...MAS , SEMPRE ...AMOR!
Já sabes que gosto dos teus textos, dessa virilidade que ressalta das mensagens subliminares...Esse confessar... escondendo!O texto é extremamente poético, pela mensagem de desespero de quem procura o verdadeiro amor, pelas inúmeras sensações , metáforas e imagens que dele ressaltam...É um texto, à tua imagem e semelhança!
BEIJO DE LUSIBERO

partilha de silêncios said...

Gostei muito do seu texto.

As pessoas que amamos podem magoar-nos e nos deixam assim, com a alma cheia de rasgões, mas aos poucos a força da natureza nos chama para a vida.

Junto um poema de Neruda, achei interessante.


Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
Há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.
Pablo Neruda
bjs

partilha de silêncios said...

Atribui ao seu blogue o prémio-selo - just perfect! "your blog is just perfect to learn something every day", através do meu blogue «Partilha de silêncios».

bjs

M. A. said...

Tocante.

pinguim said...

Gostei, como sempre, se bem que sinta aqui algum pessimismo; poderei ser eu que tenho tendência para ver assim as coisas...
Abraço.

Thiago M. said...

Jeito de amar que não é meio estúpido,
é um jeito de outra coisa qualquer...
mas não de amar!

Entendo aqui "estúpido"
no sentido de "ridículo".

E se o poeta afirma
que todas as cartas de amor são ridículas...
por que não chamar-lhes estúpidas?!

Nota de rodapé -
Há uma especíe de tristeza reflectida no texto,
essa sim,
que não é estúpida!

Anonymous said...

Beau texte.
F.LEITAO

Vulcano Lover said...

Se não sabes onde vais
Porque teimas em correr
Eu não te acompanho mais
Se não sabes onde vais
Pára deixa de bater
Eu não te acompanho mais

Pedro Gamboa said...

Intenso, crú quanto baste! Vou mergulhar mais fundo!

convidado said...

O jeito de amar é tudo menos estúpido...

às vezes podemos sentir que sentir é primário e que o ser humano deve refrear as suas emoções sob pena de se tornar estúpido...

estúpido é aquele que não sente...

e com estas palavras tardias me recolho para um curto sono antes do novo dia...

Que linda música...que paz... e que leveza de alma...

Isabel said...

esqueci-me de pôr um nome...

Isabel

Denise said...

O importante não é o jeito como se ama...
Mesmo que a alma esteja ferida, «cheia de rasgões» e cansada, o que fica é o sentimento e esse sim é importante.