Saturday, November 07, 2009

mãe escorpião...

Parabéns Mãe Escorpião

Ela veio de um mundo de sangue, calor e dores para lhe dizer certos segredos. Ele sente-lhes o cheiro, Joyce Carol Oates

Pequeno poema

Quando eu nasci,

ficou tudo como estava.


Nem homens cortaram veias,

nem o Sol escureceu,

nem houve Estrelas a mais...

Somente,

esquecida das dores,

a minha Mãe sorriu e agradeceu.


Quando eu nasci,

não houve nada de novo

senão eu.


As nuvens não se espantaram,

não enlouqueceu ninguém...


Pra que o dia fosse enorme,

bastava

toda a ternura que olhava

nos olhos de minha Mãe...
Sebastião da Gama

Eu saio de ti mas fico infinitamente retida no teu ventre, Luce Irigaray

Mesmo que o ar me falte, continuo a respirar o teu afago. Parabéns, Mãe no(s) dia(s) do(s) teu(s) aniversário(s) (7 e 8 de Novembro…)!!!

Imagem de Picasso retirada aqui.

7 comments:

AnaLee said...

Parabéns à sua mãe. Creio que niguém melhor que ela saberá, que o seu maior presente é ter um filho como o Luís!

Violeta said...

Adoro este poema de Sebastião de Gama.
Bjs e Parabéns à mãe..

Abraço-te said...

Está desculpado, por teres escrito este post, pois esqueces-te do meu aniversário...

Abraço-te

Virgínia do Carmo said...

linda homenagem ao mais sublime dos amores...

Parabéns pelo blogue, gostei muito de cá vir!

pinguim said...

Luís
a minha ida à Covilhã e a super extensa de blogs que tenho no Google Reader, só agora permitiram que chegasse ao teu blog.
Com algum atraso pois, não quero deixar de felicitar a Senhora tua Mãe, pelo seu aniversário, e a ti também, que de uma forma tão bonita, aqui a homenageias.
Abraço.

Angelo said...

No aniversário de sua Mãe, a quem me permito elogiar através dos talentos do filho, esperava um texto inteiramente tecido por si, com aquela inspirada criatividade a que me habituou e aqui reconhecida pelos leitores assíduos que se dão a comentar sem regateio. Tomou por empréstimo umas frases de Joyce Oates e Luce Irigaray, e um poema de Sebastião da Gama - lindo, por sinal - sem necessidade de o fazer. Com o seu jeito bonito e profundo de escrever, poderia ter oferecido mais do que apenas confirmar um óbvio respirar do afago de sua Mãe. Digo óbvio, pois no seu íntimo de filho grato e dedicado, enquanto viver, estou certo, há-de soprar o hálito da vida da mulher que o deu à luz de uma bendita existência. Entretanto, a sua confirmação por palavras e actos, penso, vão tornando sublime o que poderia ficar no simplesmente óbvio. Por isso, deixe-me que partilhe consigo os merecidos Parabéns que também são devidos a um bom filho!

maristela said...

Como mensurar a alegria de poder felicitar uma mãe em seu aniversário? bj grande grande