Sunday, July 22, 2007

a força de Callas...

Influenciado pela publicidade do canal Mezzo (programação do corrente mês) voltei a ouvir uma das mais belas canções de amor Mon coeur s'ouvre à ta voix. Uma das mais sublimes que ouvi em toda a minha vida! Aprendi a escutar a música com o som um pouco elevado para que possa sentir toda a emoção, toda a estética e surpresa. É isso que faço sempre que oiço esta magnífica interpretação que incita o coração e a respiração pulsarem num ritmo mais profundo. Emociona, muito. Não admira que corações menos preparados dificilmente contenham as lágrimas perante algo tão belo!

Ouvi com comoção esta ária que há muito não escutava, este pedaço de Samson et Dalila, ópera em três actos de Camille Saint-Saëns com libreto de Ferdinand Lemaire, baseado nos capítulos 13-16 do Livro dos Juízes da Bíblia, e que me enclaustrou em casa neste domingo para mergulhar no universo musical do compositor. Se Saint-Saëns não tivesse composto mais nada, Samson et Dalila por si só já bastaria para torná-lo imortal. É muito difícil não ser seduzido, não só pela exuberante poesia do libreto, como pela extasiante beleza da música.

É a história de um homem que foi forte o suficiente para derrotar os inimigos de Israel, os filisteus, mas não o suficiente para resistir à malícia de uma mulher.

Aqui e agora é a voz fabulosa da cantora lírica soprano Maria Callas (dia 28 no Mezzo será a voz do meio-soprano russo Olga Borodina)…

Mon coeur s'ouvre à la voix, (My heart opens to your voice)

comme s'ouvrent les fleurs (like the flowers open)

Aux baiser de l'aurore! (To the kisses of the dawn)

Mais, ô mon bienaimé, (But, o my beloved)

pour mieux sécher mes pleurs, (To dry my tears the best)

Que ta voix parle encore! (Let your voice speak again)

Dis-moi qu'à Dalila (Tell me that to Dalila)

tu reviens pour jamais, (You will return forever)

Redis à ma tendresse (Repeat to my tenderness)

Les serments d'autrefois, (The oaths of other times)

ces serments que j'aimais! (the oaths that I loved)

Ah! réponds à ma tendresse! (Ah! respond to my tenderness)

Verse-moi, verse-moi l'ivresse! (Pour out to me the drunkeness)

Ainsi qu'on voit des blés (Like one sees the wheat)

les épis onduler (the blades undulate)

Sous la brise légère, (Under the light breeze)

Ainsi frémit mon coeur, (So trembles my hear)

prêt à se consoler, (ready to be consoled)

A ta voix qui m'est chère! (by your voice which is dear to me)

La flèche est moins rapide (The arrow is less quick)

à porter le trépas, (to carry death)

Que ne l'est ton amante (Than is your love)

à voler dans tes bras! (to fly into my arms)

Ah! réponds à ma tendresse! (Ah! resond to my tenderness)

Verse-moi, verse-moi l'ivresse! (Pour out to me the drunkeness)

Clicar aqui para ter acesso ao libreto em língua francesa.

22 comments:

Anonymous said...

Verdadeiramente EXCEPCIONAL!!!!

Sempre me habituaram a ouvir ópera...a entender os libretos...a sentir a música!!!!
Até hoje, ainda não escapei ao fascínio!!!!

"Brigados", por este post!

avenidaflorida

Sunday, July 22, 2007 6:10:00 PM

papagueno said...

E o meu coração abriu-se perante esta voz magnífica.
Um abraço

relatosdeumruivo said...

Essa grande Diva...
Muito bonita, a música.
Haja bom gosto. :)
Abraço

KA said...

O bom gosto habitual...

Mas sabes qual o problema? É que mesmo conhecendo esta música nunca estamos imunes a nos emocionarmos perante tal obra de arte...

Beijo e boa semana

Um Momento... said...

Hum...
Vinha retribuir a visita... e...
Callas... Fantástico
Obrigada, duplamente :)))
Uma noite sereninha (*)

Maria Faia said...

Belo.
Simplesmente...BELO.
Obrigado Amigo

Frioleiras said...

Que bom ler-te !

Da Calas adoro a "Casta Diva" da "Norma" (para mim das mais belas interpretações dela...)

Um abraço e grata pela visita... fiquei assim a conhecer este pedacinho d Callas q nos ofereces.

F.

©õllyß®y said...

A benção de uma voz Celestial...
Bjca doce

Olhos de mel said...

Eu também gosto de ouvir algumas musicas altas. Parece que penetra em nosso corpo. Gostei imensamente! Eu até já conhecia algumas musicas da Maria Callas.
Que sua semana seja cheia de grandes realizações.
Bjs

pinguim said...

Maria Callas, provavelmente a melhor voz operática, do meu tempo.
Aliás é impossível fazer comparações, neste campo.
Além de uma voz prodigiosa, a sua presença em palco, com o seu quase permanente ar triste, dando por vezes a ideia das grandes tragédias gregas.
Callas, que eu nunca tive oportunidade de ouvir ao vivo, faz-me ainda recordar aquela lancinante cena do Tom Hanks no "Philadélphia", a ouvir "La mamma morta" da ópera "Andrea Chenier".
Pois a Diva está viva!
Abraço.

Bandida said...

é coisa de arrepio. deusas. deusas. deusas.



beijo Luís. forte abraço.


B.
____________________________

Maria Valadas said...

Vou debruçar- me pela cantora lírica Maria Callas:

Há mais ao menos quarenta anos, eu li um livro " O GREGO" de Pierre Rey... em que relata a história sobre um Armador Grego... Aristóteles Onassis!
E nele, era narrado os amores do armador com uma cantora lírica de seu nome Maria.

Ora... Muitos anos mais tarde...
Com conhecimento através dos meios de Comunicação... descobri que a " tal Maria"... era esta grande diva!

Ainda tenho esse livro!

Nota curiosa: Alguns factos relatados... ainda não tinham acontecido... e acabaram por acontecer!

E esta heim?!!!

PS: Peço desculpa por ter fujido ao tema do post... mas quando ouvi a Maria Callas e li a sua crónica... lembrei- me do livro!

Bom fim de semana

Beijo da

Maria

isabel said...

sublime!

hoje foi o dia dos arrepios

beijo, Luís

Whispers said...

Ola!!

Obrigado por teres voado ate o castelo do whispers e teres deixado teu comentario
Opera.... para mim sao anjos a cantar em qual me sinto viva e pronta para novamente a vida voltar.
Fecho meu olhos e abro minha mente quando eu sonho em a realidade tocar
Que tenhas boa semana

Eu Whispers te deixa um beijito para que nao te esquecas do caminho do meu castelo e me venha outra vez visitar

Whispers

pin gente said...

também gosto de ouvir alto...
gostei imenso
obrigada

Maria P. said...

É impossível não sentir "a força de Callas" e ficar a ouvir de olhos fechados...

Bjos*

GarçaReal said...

Em tempos li um livro(bem escrito)chamado "O Grego" onde é relatada a vida de Onassis e claro, da Callas (visto fazer parte da vida dele).Comecei a ouvi-la...Percebi como era diferente dos comuns mortais.
Hoje admiro-a.

Gostei desta postagem...Muito.

bjgrande

Fernando Pinto said...

A certa ALTURA, parte da sua força entranha-se nas nossas veias, no nosso sangue, e também o nosso "cuore" canta cá dentro... Gosto destes IMpulsos!

Abraço,
Fernando Manuel Oliveira Pinto

M said...

Deslumbrante!
obrigada

AnaG. said...

Foi, sem dúvida, uma grande cantora.
A sua voz arrepia-nos e emociona-nos.

Obrigada pela tua partilha.

Beijitos

hfm said...

Sempre ela!

Cândida said...

a voz de callas é uma voz abissalmente humana nunca celestial e por isso é que ela, k nem terá das melhores vozes operáticas, tem interpretações fabulosas.